Se coloque no meu lugar!

Switcheroo é um projeto criado pela fotógrafa Hana Pesut, residente em Vancouver, Canadá. As fotos refletem dois momentos, em um único cenário, e duas personalidades diferentes, onde as mesmas aparecem com suas roupas trocadas. Pesut teve essa brilhante idéia e que, realmente, agradou ao público. Como seria o inverso? O avesso? O contrário? O vice-versa? É o famoso “se coloque no meu lugar”. Divirtam-se!

Você pode ver mais fotos no site oficial.

Anúncios

Fotos 360°

Eu sempre gostei de ver fotos, não de pessoas mas de lugares, universo, bichos microscópicos, registros históricos, fotografias que mostram detalhes, muitos detalhes, onde toda vez que você olha para a imagem enxerga algo novo.
É difícil falar o que é uma foto boa, artística ou jornalística. Muitas pessoas podem considerar o retrato de uma personalidade como arte, o registro de uma cena de protesto ser apenas uma foto jornalística e a captura do pôr do sol na África como uma bela imagem. Hoje essa dificuldade de opinar sobre uma foto é ainda maior, já que praticamente todos os dias circulam na internet milhares de fotos novas, que podem ser engraçadas ou em sua grande maioria falsas (aliás PhotoShop tornou-se uma palavra conhecida por todos e mal interpretada pelo seu uso excessivo nesse tópico). O avanço da tecnologia é o grande responsável por esse cenário, câmeras cada vez menores, mais baratas e com grande capacidade de armazenamento permitem tirar milhares de fotos, a internet facilitou a publicação, pesquisa e visualização, por último, programas de computadores ajudam corrigirem ou modificarem essas fotos e tudo isso esta ficando cada vez mais simples, como um bordão utilizado em qualquer novidade tecnológica “com apenas um click”.
Alguns fotógrafos dizem que isso banalizou a arte de fotografar, outros profissionais da área e principalmente os amantes de fotografias gostam dessa diversidade, concordo com essa opinião e  dentro dessa diferença toda surgiram novidades. Uma delas que chamou muito minha atenção e até hoje procuro na internet, são as fotos de 360°, lembro que a primeira imagem desse tipo que eu vi foi durante as olimpíadas de Pequim (2008), onde circulou uma foto do estádio, como é possível ver abaixo…

Estádio Pequim - 360 Graus

Estádio Pequim – 360 Graus

Talvez hoje não seja mais novidade, mas essa categoria continuou evoluindo e logo começaram a brotar fotos 360 graus tiradas no Brasil, duas que me agradam muito são, da Estação da Luz (um lugar que eu passava todos dias quando ia para o trabalho) e do Cristo Redentor.

Estação Luz

Estação Luz

Corcovado

Corcovado

Algumas câmeras amadoras estão vindo com uma funcionalidade que permite fotografar em 180 graus,  mais uma vez a tecnologia cria facilidades para as pessoas que gostam de tirar fotos (mas não são fotógrafos profissionais) brincarem com esses recursos.

Já existem sites especializados com fotos desse tipo e as vezes acho no twitter links para visualizar imagens novas, maiores e ainda com mais detalhes.
Como é o caso das cataratas de Foz do Iguaçu.

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Zodíaco dos Super-Heróis

Em 2010 foi criado a série The Comic Book Zodiac por Deaver Park Press, de Carolina do Norte. Para cada signo do Zodíaco, foi escolhido um personagem de quadrinhos como um representante. Mesmo que você não seja muito ligado a essas questões astrológicas, até porque Deaver, não considerou muito os principios da astrologia, ele associou mais os nomes dos signos e as imagens do zodíaco verdadeiro com os personagens escolhidos. E os cartazes ficaram, no mínimo, divertidíssimos de se ver/ler. Confiram.

Você pode conferir também as definições das escolhas realizadas para este projeto aqui e aqui.

Se você gostou do que viu, compartilha! 🙂

Realidade e Ficção

Benjamin Bechét, é um artista francês que iniciou um brilhante projeto chamado “Je suis Winnie l’Ourson” (Eu sou o Ursinho Pooh). Neste projeto, o artista fotografou pessoas, normalmente menosprezadas pela sociedade, com trajes de super-heróis e personagens da fantasia infantil. É uma mistura de realidade e ficção, que ficou incrível.

Mickey sem teto

Hulk Músico no Metrô

O objetivo é causar um real impacto nas pessoas, mostrar que a existência de uma certa profissão que acaba passando despercebido, ou que até vimos mas ignoramos, em nosso cotidiano, em muitas vezes, é de extrema importância para nós. Que devemos valorizar cada tipo de trabalho e respeitar as individualidades.

Pato Donald Vendedor de Flores

Batman Frentista

Pateta Vendedor de rua

Racismo, preconceito e desigualdade social são os alvos deste trabalho do fotógrafo e este projeto se tornou um auxilio a inclusão social.

Hello Kitty Doméstica

Ursinho Pooh Pedreiro

“Isso foi para servir de lembrete de que o que você vê nunca é o que você tem, que as pessoas são sempre mais complexas, que cada identidade é apenas parcial”, disse Benjamin.

Minie Faxineira

Homem-Aranha Limpador de vidros

Esta iniciativa retrata ocultamente o sofrimento, humilhação e o desprezo que muitas destas formas de sobrevivência têm que enfrentar, dia-a-dia.

Projeto Threadless

O Projeto Threadless trata-se de estampas para camisetas que são desenhadas pela comunidade. O mundo inteiro pode participar: votando e/ou enviando desenhos gráficos, votando e/ou enviando slogans, participando das promoções e desafios de criação. E lá também tem a loja virtual, onde você pode comprar a camiseta com o design vencedor.

Design "Beauty before death" by Alice and Enkel Dika

Design "Black lips" by Lora Zombie

Design "Disco pirates came to get down" by John Tibbott

Design "Do Of The Dead" by Jorge Garza

Design "Epic Adventure" by Chris Phillips

Design "Good Night" by Niel Quisaba

Design "La Dolce Vita" by Norman Duenas

Design "Rorschach" by Robert Farkas

Design "Sin City" by Andy Farrel

Design "Swing" by Yeoh Guan Hong

Arte feminina: Cecilia Carlstedt

Desenho e pintura sempre foram a forma que Cecilia Carlstedt gostava de se expressar. Em 2003 se formou em Leitura da História da Arte e iniciou sua carreira como ilustradora e, desde então, foi recomendada e se envolveu com grandes marcas, entre elas Swarovski, Paul Smith, H&M, Victoria Secret, MTV, Elle, Vogue, VH1 e Loeffler Randall. 

O trabalho de Cecilia mistura tinta, lápis e técnicas com aquarela entre espaços sem cor. Vejam suas ilustrações como são lindas:

figura 1

figura 2

Eu gosto de tentar decifrar os artistas, todos eles guardam pra si uma inspiração ou motivo por transformar suas obras no que são. Nesse caso, suponho que Cecilia pode preferir deixar alguns intervalos sem coloração nenhuma, como forma de expôr elegantemente o que a mulher sempre apresenta: o charme e o mistério.

figura 3

As cores podem divulgar o estado emocional de uma pessoa. Uma mulher pode ser feita de todas as cores, tamanhos, efeitos, texturas. De qualquer forma, serão bem apresentadas.

figura 4

O que vocês acharam? Comentem.